Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Despertar da Mente

O Despertar da Mente

Tolerar não significa aceitar

Existe uma diferença entre tolerar e aceitar. As duas palavras não são sinónimo uma da outra! 

Quando falamos em tolerar significa que eu permito algo com o qual não concordo.  Por exemplo, estamos em período eleitoral e apresentam-se a candidatura várias forças políticas que a bem da democracia e da convivência, devem manifestar respeito uns pelos outros evitando insultos, atos de violência e sabendo escutar os adversários em debates políticos. Essa tolerância porém, não significa que pessoas de uma determinada área política tenham proximidade e identificação com outra.

Então podemos dizer que  quando toleramos algo, significa que não aceitamos isso mas respeitamos o direito dessa pessoa ter uma forma de estar ou de ser diferente da nossa. Ao tolerarmos não temos de manifestar a nossa concordância com a outra pessoa mas apenas a consentir as diferenças naturalmente. Eu tenho o direito de ser como EU SOU. O outro tem o direito de ser como ELE É.

Quando somos intolerantes a alguma pessoa ou situação alimentamos dentro de nós sentimentos negativos de raiva, rejeição, vingança e vontade de mudar o outro.

Tolerância é uma necessidade em todos... Mahatma Gandhi - Pensador

Então tolerar é mais do que aturar...

Tolerar vai muito além de aturar | Plants, Dandelion

Já aceitar algo significa acolher algo que ressoa em nós. Tem subjacente uma proximidade com alguém ou algo.

Definição de aceitação – Meu Dicionário

E há momentos, situações ou pessoas as quais não devemos de tolerar?

Refiro-me aquelas pessoas que vão contra os nossos próprios valores e os valores básicos e essenciais da humanidade e da convivência social e familiar...

TOLERÂNCIA - Não devemos aceitar sem qualificação o princípio de

Tolerar tudo o que é inqualificável é perpetuar aquilo que não desejamos. Há pois a necessidade de percebermos que se queremos ver uma mudança em algo que não ressoa conosco temos de MUDAR alguma coisa e temos de traçar limites. Aqui não podemos permitir que a situação se mantenha.

 

Não espere resultados imediatos

resultados1.jpg

 

Há coisas na vida que parecem surgir de forma imediata e outras que não... E será que essas coisas imediatas surgiram mesmo de forma imediata? Será que não são o fruto do que se fez no passado?

Um negócio bem-sucedido não se constrói de um dia para o outro... Uma doença não surge de um dia para o outro... Um relacionamento não termina de um momento para o outro...

Tudo teve um caminho com antecedentes bons ou maus.

O caminho para uma meta nem sempre é uma linha direta. As coisas por vezes tem de piorar para melhorarem. Saber fazer uso da tolerância, da paciência e da criatividade para encontrar alternativas e soluções aos desafios do dia-a-dia é muito importante.

Sim, saber ser tolerante e paciente é um recurso imprenscidível para uma  vida bem sucedida e tem três componentes:

- Compreender as falhas e limitações dos outros abrindo caminho à compreensão e compaixão.

- Aceitar as suas próprias falhas e perdoar-se abrindo caminho à autoconfiança e autoestima.

- Aceitar as circunstâncias exteriores com sensatez: impondo limites numas situações e deixando passar outras menos importantes, abrindo caminho à maturidade e aceitação.

Podemos ganhar na loteria, ter uma ideia ou invenção revolucionária... Mas será que isso ocorreu no imediato ou será que levou tempo? Um período de tempo em que alimentámos pensamentos, sentimentos e ações positivas ou negativas que desencadearam esse resultado?

O que acham?!

simei.jpg

 

 

 

 

 

 

Sem "ismos" para mim...

 

equilíbrio.jpg

 

Sempre que consideramos algo como uma verdade absoluta, fanatizamo-nos. Deixamos de estar abertos a outras opiniões e pontos de vista. Não admitimos críticas. Temos a necessidade de ripostar e de provar que só o nosso ponto de vista está certo. Deixamos de ouvir os outros.

Isto acontece com o futebol, com a religião, com a política, com a ciência, com os movimentos ambientalistas, com a alimentação... Com qualquer coisa, na verdade!

Onde pára o limite?

Faz sentido termos os nossos próprios valores e crenças positivas e preferirmos opiniões, pessoas, e atividades que se adequem a estes. O problema só surge quando aquilo em que acreditamos se torna num "evangelho" e passamos a rejeitar tudo o que não se encaixa naquilo que acreditamos...

Quando falo de outros contributos falo apenas dos que são válidos e não no criticismo sem qualquer fundamento ou ainda pior em valores de desunião, de conflito e se desrespeito pela dignidade e pela vida humana e pelo planeta.

Prefira SER ao CONHECIMENTO. O conhecimento é sempre informação processada por alguém. Não é a REALIDADE em si. Sempre que opta pelo conhecimento incorre numa probabilidade elevada se se tornar extremista.

Já o SER é onde reside a sua parte mais autêntica. Você sabe perfeitamente dentro de si se algo faz sentido ou não. Deixe-se guiar por essa parte, sem a necessidade de se justificar.

O equilibrio está em si e não fora de si.

Parece tão simples. E é!

Parece tão fácil. Mas não é!

No entanto, é possível...

 

 

sem nome.png