Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Despertar da Mente

O Despertar da Mente

O ponto de equilíbrio...

... entre largar, entregar, confiar e... fazer a sua parte, assumir a sua responsabilidade e comprometer-se...

Quando largar?

E quando ser autodisciplinado?

IMG_20240215_213308_503.jpg

Não  podemos entregar tudo para Deus e omitirmo-nos de fazermos o que nos compete... Conseguiria o estudante ter boas notas, o atleta alcançar bons  tempos, o desempregado arranjar o emprego, se não  fosse autodisciplinado, focado e esforçado? Seria correto ou adulto pedir para Deus determinada coisa e não contribuir para que este desejo ocorresse?

Se se atirar de um penhasco, se decidir matar alguém acha que  Deus o impedirá?!

Isto tem mais a ver com responsabilidade e consciência  do que com controlo. Controlamos pouco. O estudante pode chumbar, o atleta falhar e o desempregado não  ser o escolhido numa selecção . Mas se fez o seu melhor, se foi empenhado merece um bom resultado, e irá ser bem sucedido  mais cedo ou mais tarde. Não sou eu que o digo, quem o diz é  uma lei universal  chamada de causa efeito... Colhemos o que semeamos, ou seja, colhemos o fruto das nossas decisões  e ações. 

A maioria das pessoas encara Deus como um ser antromórfico e exterior. Por isso consideram que basta pedir e esperar que a magia se manifeste. Tem uma auto imagem de pequenez e de impotência. 

Deus está dentro e não  fora.. Você é  Deus!  Como pode ser insignificante?! Você  é pelo menos uma centelha divina dele... Quando perceber isso de forma mais profunda e consciente  perceberá  que a sua vida é  um mero reflexo dos seus pensamentos e sentimentos,  sobretudo  os que são  relativos a si mesmo!

Dito isto, há  de fato muitos momentos  em que temos de saber entregar e confiar no divino. É  o que se aplica a tudo o que escapa à  nossa esfera de atuação e que vivemos muitas vezes com sentimentos  de injustiça, de mágoa  e de revolta. Tudo o que nos afecta e que sentimos não  merecermos. E também  tudo o que observamos no mundo como violento, cruel e isano, como a guerra, por exemplo .

Tudo tem um propósito,  mesmo que no momento  não  saibamos bem entender qual é... por isso estas situações  devemos mesmo de entregar.